ÚLTIMAS NOTÍCIAS


Mais de cinco mil pessoas, segundo a organização, acompanharam a celebração que marcou o início do inquérito do processo de beatificação de padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira (Pe. Léo).

A cerimônia foi na tarde de sábado na comunidade Bethânia em São João Batista, a 30km de Brusque/SC.

Padre Léo acumula relatos de fiéis de graças alcançadas, cura de doença e conversões.

Ele morreu em 2007 vítima de um câncer. Mas mesmo após a morte, milhares de pessoas dizem que tem a vida transformada por ele e muitas delas foram em caravanas até a cidade para celebrar o início do processo que eleva o padre à condição de "Servo de Deus". O processo de beatificação não tem prazo para ser concluído.

Na celebração foi formado o tribunal diocesano que vai analisar documentos que comprovem virtudes heróicas, fora do comum de padre Leo.

Apesar do ato ser considerado o primeiro passo oficial para a beatificação, a trajetória do sacerdote abriga uma longa história e o pedido também envolve uma série de estudos, pesquisas e análises. O aval do Vaticano para a abertura do caso ocorreu em 8 de dezembro de 2019, dia em que padre Léo completaria 29 anos de sacerdócio.

O sacerdote ficou conhecido por suas pregações, pelo jeito peculiar de evangelizar, que valorizava a simplicidade e o humor ao abordar exemplos concretos do cotidiano. Além disso, mesmo doente, seguiu com os trabalhos de evangelização.

Entre as ações de Padre Léo, está a criação da Comunidade Bethânia, que é um centro de acolhimento com 170 vagas e já atendeu mais de 6,5 mil pessoas em tratamentos contra dependência de drogas.

Desde a morte do padre Léo, a comunidade tem recebido vários testemunhos que são feitos por meio de cartas, e-mails e até mesmo pelas redes sociais. Desde então, o material tem sido arquivado no Recanto de São João Batista, que é sede da comunidade, inaugurado em 12 de outubro de 1995.

Quem participou do evento no final de semana, foi o comunicador da Rádio Campo Aberto Adilson Nogueira, que foi acompanhado da esposa Luiza, do filho Henrique, e da nora Natália.

Adilson conversou com o arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis, dom Vilson Tadeu Jönck, da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, que falou da importância deste momento que a Igreja Católica do Brasil está vivendo com a possibilidade de beatificar padre Léo.

No Jornal 94.1 2ª Edição você acompanha a entrevista completa.
*As informações são do site G1 SC
https://g1.globo.com/sc/santa-catarina


 

Fonte: Departamento Jornalismo
Postado por Jakeline Buratti - Data: 09/03/2020

Arquivos Relacionados a Notícia