ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Nesse tempo de enxurrada de informações, a busca direta na fonte se faz ainda mais necessária. Inclusive para orientação aos produtores rurais que estão se adaptando a novas rotinas e garantindo com êxito a produção de alimentos, em especial na região da Cantu. O Giro Rural da rádio Campo Aberto conversou com  Zootecnista Delma Fabíola Ferreira da Silva. Acompanhe as orientações na íntegra:
 
Delma Fabíola Ferreira da Silva concluiu a graduação em Zootecnia pela Universidade Federal do Paraná em 2011. Concluiu seu mestrado na mesma universidade (2013), É membro do Núcleo de Inovação tecnológica em Agropecuária- UFPR. Possui doutorado na UFPR em Integração em Lavoura Pecuária em 2017. É extensionista do  Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater em Quedas do Iguaçu  - PR
 
Por: Delma Fabíola Ferreira da Silva
Meus queridos produtores minhas queridas produtoras aqui quem fala é Delma Fabíola do escritório da Emater de Quedas do Iguaçu estou aqui passando então para a gente conversar um pouquinho aí sobre o coronavírus dentro das nossas propriedades rurais.
 Mais especificamente aí dentro das propriedades leiteiras como a gente sabe a produção de alimentos ela não podem ser afetadas por esta doença. Nós precisamos garantir o abastecimento de alimentos a todos os brasileiros.  É claro o produtor rural é o grande protagonista nessa história.
 
Uso de álcool em gel:
Uma das medidas de prevenção geral seria a distribuição do álcool em gel em todos os setores da propriedade, na sala de ração, sala de ordenha, sala de alimentação dos animais e principalmente o principal local aonde deve ter álcool em gel disponível é na sala da coleta do leite na sala do resfriador.
É importante principalmente para freteiro que vai vir até a propriedade e acabar utilizando esse espaço. Ele precisar ter o álcool gel disponível para que ele também faça a sua higienização o distanciamento de pessoas que no mínimo é de um metro e meia a dois metros de distancia. Usados parâmetros da agropecuária, então uma distância de uma vaca entre uma pessoa e outra ou dois bezerros.
  
Uso Compartilhado de tratores e colheitadeiras:
Outra coisa importante é não dividir carona nos veículos. O pessoal que tem trator e  colheitadeira dentro da propriedade rural, não deve compartilhar as cabines. Caso precise mais de uma pessoa utilizar a mesma máquina,  deve fazer a higienização com álcool em gel das cabines, do volante e das maçanetas.
Para os prestadores de serviço que vem entregar ração nas propriedades e outros produtos e os caminhoneiros, de preferência permanecer no interior do veículo durante entrega. Quem faz o descarregamento evitar o contato da mesma forma.

Objetos não devem ser compartilhados como por exemplo garfo, faca, copo de água.  Caso oferecer um copo de água para algum fornecedor, o ideal é copo descartável.
 
E o chimarrão ?
No caso do chimarrão muito típico na região, a bomba do chimarrão deve ser individual, ou seja neste momento não devemos compartilhar o chimarrão. Também importante não compartilhar objetos como o celular, rádio e caneta que muitas vezes usamos para assinar alguma nota por exemplo.

Evitar o máximo pessoas acima de 60 anos nos locais de trabalho aglomerações principalmente em horário de pico. Exemplo  na necessidade de ir a uma agropecuária evitar o maior número de pessoas, de preferência ir  sozinho, não leve familiares consigo.  
 
Agora a gente vai conversar um pouco mais específico sobre a parte da ordenha.
 Usar luvas é importante.  Sabemos que tem bastante gente aqui na região que não gosta de usar luvas  porque realmente incomoda. Porém  nesse momento é preciso usar luvas e máscaras. Procurar não falar no momento da ordenha. Às vezes na propriedade tem dois ordenhadores, então procurar não conversar. Utilizar avental, quem tem cabelos longos usar cabelos amarrados de preferência com touca, chapéu ou boné.

A pessoas com sinais de gripe não fazer a ordenha e tem que se manter o isolamento Social. Se for espirrar, fazê-lo longe dos tetos das vacas, longe dos equipamentos de ordenha e utilizando o antebraço para cobrir o rosto no momento do espirro.

A utilização do pré e pós dipping é muito mais importante principalmente nessa época porque ele desinfeta os textos ali não sai das bactérias como também dos vírus antes da retirada do leite.

Todas as lavagens dos equipamentos com os detergentes alcalino e ácido. E lembrando que a água sanitária neste momento é o nosso maior aliado, ela desinfeta e pode ser usadas em  todas as superfícies dos equipamentos, no piso da sala de ordenha, nas paredes.  Utiliza-se  a água sanitária diluída na água , não deve utilizar pura. Na sala de ordenha é claro a gente não pode esquecer dos animais, apesar do coronavírus não ter nada que mostre que ele ataque-os.
 
Cuidados cotidianos:
Vale a recomendação de manter o calendário de vacinação dos animais em dia e também uma dieta balanceada com oferta de volumoso e concentrado em níveis ideais. Isso vai fazer com que o animal mantenha sua imunidade sempre alta e como bônus nesse balanceamento de dieta ainda vai poder aumentar a produção de leite e diminuir os custos dentro da propriedade leiteira.
Quero mandar um grande abraço a todos os produtores (as) . A gente está passando por um momento difícil,  mas lembrando que vai passar, tudo passa e assim que possível nós estaremos na nossa rotina habitual e produzindo bastante leite dentro das propriedades como sempre tem se feito. Um abraço (Delma Fabíola Ferreira da Silva - Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater em Quedas do Iguaçu  - PR).


Fonte: Jornalismo RCA - Jefferson Silva / Delma Fabíola Ferreira da Silva Iapar-Emater
Postado por Jefferson Silva - Data: 06/04/2020

Arquivos Relacionados a Notícia