ÚLTIMAS NOTÍCIAS


Essa comemoração foi criada em 2002 no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.  A escolha da data é uma homenagem a um dos mais influentes escritores da literatura brasileira do século XX, o escritor brasileiro pré-modernista Monteiro Lobato. Ele nasceu em 18 de abril de 1882, motivo pelo qual esse dia é também chamado de Dia de Monteiro Lobato.
 
A professora aposentada Cláudia Mota de Laranjeiras do Sul , explica que a data foi escolhida para celebrar a literatura  infantil nacional. Neste dia em 18 de abril no ano 1882  nascia um dos mais importante escritores que já tivemos, Jose Bento o Monteiro Lobato. Ele é muito conhecido pelas suas obras principalmente o “ Sítio do Picapau Amarelo” , e é um marco na literatura brasileira. “ Lobato transformou  o que nós tínhamos de literatura infantil, e que nós temos hoje, portanto é importantíssimo que não esqueçamos desse escritor” , declarou a professora. 

Bons exemplos
As crianças de hoje em dia meio a tanta tecnologia e atrativos não deixam o bom livro de lado. O departamento de Jornalismo da Campo Aberto conversou com algumas delas que amam a leitura:
 
“ Eu gosto muito de ler , os livros que não entendo leio com minha mãe. O livro que mais gostei foi do Frankenstein versão para crianças. Agora estou lendo do Harry Potter”. Gabrieli G. Evarini - 8 anos

“ Eu já li mais de 38 livros, sendo coleções e clássicos infantis por exemplo: Chapeuzinho Vermelho, Gato de Botas, Pinóquio e coleções do nosso folclore . Também gosto de palavras cruzadas. Meu recado é que nunca deixe de ler, mesmo pequenos livros. Com a leitura imaginamos mais e ajuda a escrever um bom texto ”. Aduarda Glaba - 10 anos
 
“ Eu  gosto de brincar, estudar e amo ler. O livro de mais gostei foi o Soldadinho de Chumbo e minha mãe Le pra mim até hoje. Espero que nessa quarentena as crianças aproveitem e leiam bons livros e peço ao anjinho da guarda proteja elas de todos os perigos”. Juliana Padilha Monteiro - 8 anos.
 
 
 
Leia mais: 
Lobato, que dedicou grande parte de sua vida à literatura infanto-juvenil, é considerado o precursor da literatura infantil no Brasil e da literatura paradidática, a qual reúne brincadeira, leitura e aprendizado.
 
Segundo ele:
“De escrever para marmanjos já estou enjoado. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo.”.
Dentre suas obras infantis, a mais destacada é o “Sítio do Pica-pau Amarelo”, uma coleção de aproximadamente 25 livros de histórias, escritas entre 1920 e 1947.
 
Algumas histórias da coleção são:
O Saci (1921)
Reinações de Narizinho (1931)
Caçadas de Pedrinho (1933)
Emília no País da Gramática (1934)
Geografia de Dona Benta (1935)
Histórias de Tia Nastácia (1937)
O Poço do Visconde (1937)
O Pica-pau Amarelo (1939)

Além de Monteiro Lobato, outros escritores contribuíram para a divulgação da literatura infanto-juvenil no país: Ana Ruth Rocha, Pedro Bandeira, Lygia Bojunga, Ziraldo, Maria Machado, Tatiana Belinky, etc.

Por: radiojotafm


Fonte: Jornalismo RCA -
Postado por Jefferson Silva - Data: 18/04/2020

Arquivos Relacionados a Notícia